Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GOSSIP PROJECT

Reality, Fashion, Music, Food...and "The Unique Me"

GOSSIP PROJECT

Reality, Fashion, Music, Food...and "The Unique Me"

Estes são os melhores lugares do mundo para aproveitares a tua reforma!

Superfunky, 14.01.19

Onde é que gostarias de viver daqui a 50 anos?Infelizmente, não são muitas as pessoas que param para refletir nisso e fazem um bom planeamento para a sua aposentadoria. Depois de uma vida de muito trabalho, nada mais justo do que se aposentar num lugar tranquilo, economicamente viável e que nos ajude a passar uma velhice digna. Por isso, a revista International Living acaba de publicar uma lista com os 10 melhores lugares para isso em 2019.

 

Especializada no assunto há mais de 30 anos, o objetivo da publicação é oferecer novas possibilidades aos leitores, a partir de uma seleção de destinos excepcionais, onde as pessoas podem viver uma vida mais saudável e feliz, gastar muito menos dinheiro e ganhar muito mais. Cobrindo os 5 continentes, eles contam com uma equipe de especialistas que analisam diversos fatores, como qualidade de vida, boas oportunidades, clima, economia, entre outros.

 

10. Espanha

espanha

Um dos destinos de praia preferidos dos europeus, possui excelentes cidades para os aposentados, como Navarra, Cantábria, Astúrias, Galiza e País Basco. Por causa do clima quente os alimentos são baratos, a dieta rica em frutas e legumes e, o custo de vida é um dos mais baixos da Europa ocidental.

 

9. Tailândia

tailândia

O Sudeste Asiático oferece alguns dos programas de aposentadoria mais atraentes do mundo, clima para todos os gostos e é um país super aberto aos expatriados. Com uma cultura rica e única, o país é barato e ainda possui diversos hospitais e clínicas modernas, com valor muito abaixo do que estamos acostumados.

 

8. Peru

peru

Se muitas pessoas procuram o Peru para conhecer Machu Picchu, outras tantas estão escolhendo o país como local de aposentadoria. Com clima agradável, culinária rica e preços baixos, a capital – Lima, tem recebido cada vez mais expatriados, entre eles, brasileiros.

 

7. Portugal

portugal

Portugal é o destino da moda, não somente entre os brasileiros, mas também entre os europeus. Comparando com o resto da Europa, é um país barato, os portugueses são receptivos aos estrangeiros, comida de qualidade e paisagens incríveis.

 

6. Colômbia

colombia

segundo país com mais biodiversidade do mundo, este é o lugar perfeito para quem quer viver junto à natureza. Conseguir um visto de aposentadoria é fácil e o país possui um dos melhores sistemas de saúde do mundo.

 

5. Malásia

malásia

Com praias paradisíacas, quem quer passar os dias observando o mar pode pensar seriamente em ir pra lá. A língua oficial do país é o inglês, o custo de vida é baixo e o sistema de saúde bom e barato.

 

4. Equador

equador

A grande vantagem de viver no Equador é estar em um país com uma das melhores condições meteorológicas do planeta. Com praias e montanhas, comprar uma casa no interior é barato e, além do mais, como é um dos grandes produtores de comida do mundo, a alimentação é saudável e barata.

 

3. México

méxico

Com diversos programas para expatriados, comprar um imóvel no país é barato, você pode viver em algumas das praias mais paradisíacas do mundo, com uma cultura riquíssima e gente simpática.

 

2. Costa Rica

costa rica

Resumindo tudo em poucas palavras: o país tem atraído visitantes com seu clima tropical,baixo custo de vida, atendimento médico acessível e de alto nível, barganha imobiliária e beleza natural!

 

1. Panamá

panamá

Moderno, hospitaleiro e caloroso, o Panamá é quente e tropical, mas completamente fora do cinturão de furacões. A moeda é o dólar americano, mas a carga tributária é baixa. Rico culturalmente, com boa comida e no meio do caminho entre Estados Unidos e Canadá, este é o eleito do ano de 2019 para que as pessoas possam desfrutar da sua reforma.

As dez tradições mais originais de fim de ano

Superfunky, 31.12.18

 
De Espanha aos Estados Unidos, passando pelo Japão e por África do Sul quase todos os países do Mundo têm algo que os caracteriza na hora de celebrar o ano novo. Conhece as dez tradições mais curiosas.
 
Em Espanha, a passagem de ano é conhecida como "Nochevieja", ou seja, "noite velha", e o costume é comer-se doze uvas ao acompanhar das doze badaladas. A origem desta tradição remonta a 1909, ano em que houve um grande excedente na produção de uvas. Contudo, segundo os especialistas na matéria, já no século XIX se encontram registos desta tradição na burguesia espanhola da época.
 
 
Nos Estados Unidos da América, a tradição de fim de ano é o conhecido "beijo da meia-noite". Se bem que ninguém sabe ao certo de onde surgiu, sabe-se que este costume deve ter a sua origem ligada aos ritos romanos do festival de "Saturnalia", que se celebrava numa época muito próxima à actual celebração de fim de ano. De acordo com registos históricos, no final deste festival dedicado à divindade de Saturno, todos se beijavam na boca como forma de celebração.
 
Em Itália, os festejos estão ligados ao consumo de lentilhas, que não pode faltar na mesa de cada italiano. Trata-se de uma tradição que já remonta ao período romano e que agora também já vai aparecendo em Espanha. Na antiga Roma, associava-se o prato de lentilhas a um um prato de moedas de ouro.
 
Na Dinamarca, não há celebração de ano novo que não inclua pratos a menos nas cozinhas deste povo do norte de Europa. A tradição é exactamente essa: partir alguns pratos de loiça na entrada do novo ano como forma de atrair a boa sorte. No entanto, existem também outras tradições neste país, como saltar do alto de uma cadeira ao passar da badalada de meia-noite.
 
Nas Filipinas, a tradição de final de ano passa por usar uma peça de roupa às bolinhas, devido à associação entre a forma circular das bolinhas e a forma das moedas. Ainda mais importante deve ser o facto de essa peça de roupa ter um bolso, no qual se guardam algumas moedas de forma a atrair outras durante todo o ano. Também as ruas do país são enfeitadas com telas desse mesmo tecido para atrair a boa sorte económica.
 
Na Escócia, a cidade de Edimburgo tem uma tradição muito especial conhecida pelo nome ancestral de "Hogmanay". Trata-se de um festival de rua animado por danças populares, música tradicional, fogos de artifício e teatro de rua, que ocorre, sobretudo, na principal rua da capital escocesa, a conhecida Royal Mile, e que se assume na forma de um cortejo, conhecido também ele como "Torchlight Procession".
 
Em Inglaterra, a tradição britânica de viver com grande pontualidade não falha. E isso verifica-se também na forma de festejar o o ano novo com a tradição chamada "First Footing", que consiste em ser o primeiro a visitar a casa dos familiares depois das doze badaladas, fazendo-se sempre acompanhar de algum tipo de presente, quer seja ele dinheiro, pão ou carvão como forma de assegurar que a sua família não tenha falta deles durante o ano que se inicia.
 
Na África do Sul, a tradição é muito similar ao Carnaval brasileiro. Chama-se "Tweede Nuwe-Jaar", que significa "segundo ano novo". Nesta festa animada e colorida, os participantes estão agrupados, tal e qual os participantes dos carnavais brasileiros. O sentido da festa é exactamente o mesmo da brasileira: música, animação, disfarces e dança.
 
No Japão, a passagem de ano coincide com uma tradição budista conhecida por "Joya No Kane", na qual soam 108 badaladas de um qualquer templo budista do país. É desta forma que os habitantes desejam o melhor para si e para os seus para o ano que se inicia, tentando desta maneira afugentar todos os 108 pecados da alma humana para o ano inteiro.
 
Para finalizar, existe uma tradição que pode ser considerada internacional, que passa por se usar uma peça de roupa interior de cor vermelha. Não importa o seu formato, tamanho ou padrão. O importante mesmo é a cor aguerrida do vermelho, que, apesar de não ter uma origem histórica confirmada, está associada à paixão e ao amor. A pessoa que a usar está a atrair a boa sorte para o amor durante todo o ano.