Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

GOSSIP PROJECT

Reality, Fashion, Music, Food...and "The Unique Me"

GOSSIP PROJECT

Reality, Fashion, Music, Food...and "The Unique Me"

5 lições que podemos aprender sobre Liderança em La Casa de Papel

Superfunky, 25.07.19
Para muitos, a série é apenas um entretenimento que prende a atenção do início ao fim. Mas, para outros, pode ser uma aula preciosa do que é e como ser um bom líder. 
 

foto-de-divulgacao-da-terceira-parte-de-la-casa-de

 
Estas são as 5 lições que podemos retirar:
 
1- Planeia tudo nos mínimos detalhes
 
Um bom líder planeia a execução das estratégias da empresa com bastante detalhes. Isso pode ser observado durante todo o processo do plano de assalto à Casa da Moeda, em que o Professor pensa nos mínimos detalhes e em todas as possibilidades que o assalto pode gerar.
 
2- Traça objetivos claros
 
Um bom líder cria uma visão clara de onde quer chegar e qual o benefício que todos da sua equipa terão se alcançarem aquele objetivo. Durante os capítulos, todos podem ver que o Professor traça a meta de ser o assalto mais audacioso da história da Espanha, bem como a fortuna que vão atingir e como cada um será beneficiado com ela.
 
3- Apoia a tua equipa
 
O bom líder não pode deixar a sua equipa caminhar sozinha. É preciso estar sempre por perto seja para auxiliar, motivar ou comemorar. Em La Casa de Papel, o Professor está sempre atento às necessidades da sua equipa, estando “online” e auxiliando por meio de ligações.
 
4- Coloca-te à frente e assume os riscos
 
Arriscar-te para ajudar a equipa a atingir as metas é característica essencial de um líder. E isso é evidente durante a série, quando o personagem principal se coloca em situações de risco para obter mais informações e ter uma visão geral das ações que os policiais e detetives estão planeando para enfrentar os sequestradores.
 
5- Sabe adaptar-te aos imprevistos
 
Um líder sabe perfeitamente adaptar-se a situações não previstas e administrar conflitos na sua equipa quando as coisas saem do planeado. Desentendimentos são muito comuns entre membros da equipa, além de divergência de opiniões. Este facto também é perceptível em La Casa de Papel, e em como o personagem principal precisa traçar novos planos e estratégias para seguir caminhando em direção ao seu grande objetivo.

O que podemos aprender com a série Stranger Things

Superfunky, 11.07.19

 
Desde o seu lançamento em julho de 2016, a série "Stranger Things" da Netflix, conquistou milhares de fãs por todo o mundo. Além da trama, que serve para deixar qualquer um viciado, e de um dos grupos de atores carismáticos que temos atualmente, a produção também nos transmite algumas lições importantes para vida.
 
Neste intuito, partilho algumas das lições que podemos retirar com a série “Stranger Things”:
 
1. Trabalho em equipa
 
O trabalho em equipa é importante em todo mundo. Na série sempre que os personagens trabalham juntos os resultados são melhores.
 
2. Aceita a mudança
 
Os personagens da série não têm o estereotipo de herói corajoso e decidido. Pelo contrário, são indivíduos com complexos, medos e inseguranças. A sua grande virtude é a vontade de experimentar coisas novas, de tentar meios que não existiam antes ou de implementar um novo método para resolver um problema.
 
3. Procura o conhecimento
 
Experimentar é bom, no entanto procurar o conhecimento anterior irá trazer um rumo mais claro e enriquece o processo de aprendizagem. Em Stranger Things, os protagonistas conhecem as coisas, leem, arquivam informações valiosas, investigam e agem.
 
4. Arrisca-te
 
Em muitas ocasiões, os personagens arriscam-se mesmo que não alcancem o seu objetivo. Eles aprendem com isso e não voltam a cometer os mesmos erros.
 
5. Descobre a tua paixão
 
Na série, quando chega o momento de enfrentar conflitos mais sérios, a paixão dos personagens é o seu grande aliado e guia para avançar e não ser superado pelo desconhecido.
 
6. Confia nos teus instintos
 
Os personagens não só acreditam nos seus instintos, como também não desistem de ir atrás daquilo que acreditam.
 
7. Supera medos e obstáculos
 
Os personagens da série não são campeões de determinação e segurança, são pessoas como a maior parte da população: inseguros e emocionais. Então, a superação de medos e barreiras é fundamental para subirem de nível e alcançarem os seus objetivos.
 
8. Honestidade acima de tudo
 
Em Stranger Things as mentiras levam ao fracasso. Dizer sempre a verdade pode até ser doloroso, mas é necessário.
 
9. Diverte-te
 
Mesmo que as coisas pareçam difíceis, a diversão e o otimismo devem fazer parte da nossa vida.

As cinco lições de liderança de La Casa de Papel

Superfunky, 20.07.18
Resultado de imagem para la casa de papel
 
De certeza que já ouviste falar da série La Casa de Papel, uma produção espanhola para a Netflix, que se tornou um êxito. Uma história simples e tão bem contada que nos conquista desde o primeiro minuto.
A história baseia-se num grupo de oito ladrões que tomam de assalto a Casa da Moeda de Espanha, com o objetivo de realizarem um grande assalto. Este foi minuciosamente estudado pelo “Professor”, a principal personagem da história, que, de acordo com as competências e habilidades necessárias para o efeito, recruta oito criminosos, cada um especialista numa determinada área. O objetivo é que se infiltrem na Casa durante o tempo necessário para imprimirem 2,4 mil milhões de euros e serem multimilionários.
No decorrer desta intensa história, as lições de La Casa de Papel sobre liderança são surpreendentes!
 
1) Conhecimento é poder
 
O Professor, executante deste gigantesco plano, estudou criteriosamente as relações com todas as partes envolvidas no assalto, as características, os movimentos e os comportamentos da polícia, dos reféns, da opinião pública e da própria equipa de assaltantes. Este conhecimento ajudou-o a antecipar situações e a prever os passos que teria de dar quando se deparasse com as mesmas. Um desses exemplos é quando a Inspectora Murillo, convicta de que encontraria algo comprometedor, o força a ir ao armazém da cidra. E mais não conto…
O mesmo se passa nas empresas, ter o máximo de conhecimento é importante, bem como estudar as relações com as diferentes partes, saber como atuam, para se poder antecipar os passos a tomar e ter um plano alternativo para os momentos de crise, caso seja necessário.
 
2) A escolha da equipa é fundamental para o sucesso
 
A diversidade da equipa que é reunida para a tomada da Casa da Moeda é uma das melhores lições contidas na série. O Professor escolhe com muito cuidado cada pessoa da equipa, cada um com um conhecimento específico em determinada tarefa, de forma a que se complementem e o resultado final seja o melhor.
Apesar das competências individuais serem importantes, é preciso manter a equipa a trabalhar como tal. E nem sempre é fácil, quando os ânimos se incendeiam e as reações não são as melhores. Temos um exemplo disso quando o Berlim ata a Tóquio a uma maca e a expulsa da Casa da Moeda, colocando-a nas mãos da polícia.
Um bom líder, para além de ter um cuidado especial na seleção da equipa, contemplando as capacidades individuais no todo, deve também ter a capacidade de gerir com prudência as diferentes personalidades e isso só se consegue com o domínio das emoções e uma assertividade presente nos momentos mais críticos. Tudo isto, mantendo sempre a motivação da equipa.
 
3) Investir no planeamento é essencial
 
Planear é essencial para que um projeto tenha sucesso. O Professor reuniu a equipa, cinco meses antes do assalto, para lhe apresentar detalhe a detalhe, o projeto. Dessa forma, os objetivos ficaram claros, cada um sabia a sua missão e como o seu trabalho encaixava no trabalho dos outros. Para além disso, foram pensados vários cenários, identificados possíveis obstáculos e estudadas, em conjunto, formas de os ultrapassar, sem que comprometessem o objetivo final. Um exemplo disso é quando a Tóquio está a ser transportada para o estabelecimento prisional e se recordou das palavras do Professor: “Eu nunca te vou falhar”. E não falhou!
O líder deve fazer o mesmo com a sua equipa, privilegiar o planeamento antes de agir, para que tudo dê certo e, acima de tudo, garantir à equipa que estará presente nos momentos mais difíceis.
 
4) A formação tem de ser uma prioridade
 
Tão importante quanto preparar a acção é simular a mesma, para que, desta forma, os elementos tenham uma resposta rápida ao acontecimento. Durante os meses da formação, o Professor foi preparando a equipa através de criação de exemplos de situações reais, com perguntas que os faziam pensar para além do óbvio e recorrendo a metáforas para que mais facilmente chegassem à resposta. Num ambiente empresarial, é importante que os colaboradores passem por este processo formativo, que se preparem através de simulações para o que vão lidar. Um bom líder não deve deixar a formação da equipa para segundo plano, correndo o risco de falhar totalmente no alcance dos objectivos.
 
5) Imprevistos acontecem
 
Neste plano, como em qualquer outro, é inevitável que aconteçam imprevistos. Lamentar e não fazer nada para os resolver pode ser perda de tempo. É preciso aceitá-los e integrá-los da melhor maneira no plano, para que tudo continue a correr como previsto. O Professor não esperava apaixonar-se pela Inspectora, mas aconteceu! Se na história estes momentos são de viragem e representam um pico dramático, nas equipas também. O líder deve estar preparado para não deixar cair a equipa na desmotivação quando os imprevistos acontecem, levando-os a mudar a perspectiva e a verem o lado positivo da situação, mesmo que naquela altura não seja totalmente evidente. Afinal, quem sabe, se de um imprevisto resulta um final feliz!

Focus On: Dylan O'Brien

Superfunky, 18.09.15

 

Dylan O'Brien (Nova Iorque, 26 de agosto de 1991) é um ator e músico americano. Ele ficou conhecido por interpretar Stiles Stilinski na série Teen Wolf.

 

No cinema, protagonizou os filmes A Primeira Vez, Maze Runner: Correr ou Morrer e Maze Runner: The Scorch Trials.

 

 

Influenciado por seus pais, Dylan cresceu sabendo como é o meio em que trabalha e até quis ser cinegrafista, assim como seu pai. Numa entrevista, disse que sempre teve permissão para assistir a todos os filmes e por isso é um geek nisso. Aos dez ou onze anos, começou a brincar com uma câmera e fazer seus próprios vídeos. Aos quatorze anos, Dylan postou seus vídeos independentes no YouTube, e tornando-se  popular. 

 

 

O seu canal Dis Be My Channel, tinha geralmente conteúdo humorístico e é um trocadilho para This Be My Channel (ou 'Esse É o Meu Canal') , o seu upload mais popular de nome True Wannabe, é uma tradução da música de maior sucesso das Spice Girls, o single Wannabe. Uma produtora local que viu os vídeos e estava criando a web série Sweety, queria que ele fizesse parte do projeto. Essa foi sua primeira experiência em que ele atuou realmente. Foi também onde conheceu seu gerente de audição, que gostou do seu desempenho ao ponto de enviar os seus vídeos para um amigo de uma empresa, essa que começou a cuidar das suas audições.

 

 

Quando surgiu o primeiro convite para um programa da MTV em 2011, ele tinha dezessete anos e decidiu morar em Santa Monica. Tomou conhecimento sobre o projeto e ficou animado com Teen Wolf, a série que é baseada na antiga história do filme de mesmo nome. 

 

 

Ao mesmo tempo, planeava entrar para a faculdade de cinema e entrou num acordo com seus pais: ele iria para a escola de cinema desde que não fosse selecionado para o papel, vendo que as chances eram pequenas. 

 

 

De acordo com uma entrevista no programa de rádio SmodCast, foi lhe enviado um script para ser Scott McCall, o personagem principal, porém O'Brien informou que não tinha conhecimento prévio do filme de 1985, ele também disse que depois de ler o roteiro ficou imediatamente atraído pelo personagem de Stiles Stilinski, que faz parte do elenco principal e é o melhor amigo de Scott. Após quatro audições para o papel, recebeu elogios do diretor Jeff Davis e produtor Russell Mulcahy, obtendo a aprovação. Atualmente continua na atração, que está na quinta temporada e já lhe rendeu muitos seguidores e prêmios como o Young Hollywood Awards e Teen Choice Awards.

 

 

A sua estreia no cinema foi com a comédia High Road em 2011. No ano seguinte, protagonizou a comédia romântica A Primeira Vez ao lado de Britt Robertson. Em 2013, apareceu com Owen Wilson e Vince Vaughn no filme Os Estagiários.

 

 

Em 2014, foi escalado como o protagonista Thomas de Maze Runner: Correr ou Morrer. Em 2015, continuou com o personagem em Maze Runner: The Scorch Trials.